Wednesday, September 8, 2010

Devagar, devagarinho

Sem algum tempo -sem alguma demora- pouco ou nada se percebe do que se está fazendo,, sentindo como sensação ou sentindo como emoção.
No meio da correria da vida, do tempo que corre, das pessoas que passam como vultos e das horas que voam, fazer qualquer ação de forma devagar é mais que uma necessidade. É um prazer. É o prazer propriamente dito. É o caminho. Se dizem que a felicidade é o caminho, então que bom se percorrermos esse caminho bem lentamente, prestando atenção em cada pedrinha, estando conscientes de cada passo.
Quando as coisas- 0s atos,digo- deixam de ter a finalidade em si, faz mesmo mais sentido desacelerar.
Hoje eu explicava para duas meninas o por quê da Yoga que eu pratico e ensino ser de va gar. O por quê de dar um tempinho entre uma postura e outra.
Por isso. Para perceber o que se está fazendo. O que se está sentindo como sensação. O que se está sentindo como emoção. Para aprender a perceber. A conhecer.
Para que o corpo tenha tempo para internalizar os processos.
Para que possamos nos encantar com as sutilezas que só a vagarosidade nos permite perceber.

Porque quando é bom a gente não quer que acabe.

1 comment:

  1. E porque o SER é devagar, é sutil!!!

    Boa semana querida

    ReplyDelete